24 de março de 2017

E com desconhecidos, seguia, criando laços

24 de março de 2017
Um mês de nova jornada. O dia 19 nunca mais será o mesmo para mim. Hoje prestes a ir fazer a segunda visita a minha família, depois de milhares de chamadas de vídeo, mensagens no whatsApp. Sinto-me completa, sinto que fiz a decisão certa. Um mês depois, nenhuma onda de arrependimento bateu em mim. Entre novas ruas, pessoas, histórias e experiências. Eu estou aqui. A saudade bate, não nego. A vontadezinha de estar lá, vem. Mas o arrependimento, não. Ele não me acompanhou. 

Então, entre as milhares de músicas desse mundinho. Me deparei com essa e foi ao ouvir ela que eu entendi, me senti realizada. Foi com ela que eu compreendi que estou no lugar certo, na hora certa.

E gratidão transbordou no meu peito! 


Obrigada Deus!


8 de março de 2017

E lá eu chorei

8 de março de 2017

Resultado de imagem para gif choro
Passeios, cinema, shopping, livros, risadas, choros, saudades... E aqui está o resumo da minha vida na nova cidade. Acredito que tudo é uma via de mão dupla. Eu estou feliz, estou realizada. Mas quando eu coloco a cabeça no meu travesseiro, o "e se" vem. A saudade aperta, a vontade de estar lá aparece.

Após o feriadão de carnaval, quando tudo acabou eu me deixei chorar pela primeira vez. Dentro de um ônibus, aquele ônibus que atravessaria 270km, que me levaria para longe da minha família, mas  que trouxe-me para perto do meu sonho.

E lá eu chorei, chorei por ter conseguido entrar no curso que sempre quis. Chorei por ter largado toda a minha vida. Chorei por ganhar um recomeço, chorei por receber todo o apoio da minha família. Chorei por ser eternamente grata, chorei por saudade, por medo, felicidade, insegurança e infinitas coisas que estavam guardadas.Eu chorei por estar finalmente conseguindo.

E agora eu estou aqui, atolada de matéria. Atolada de tudo aquilo que eu sempre quis. Cheia de vida, liberdade, amor e gratidão por tudo que esta acontecendo na minha vida. E por fim, se passaram apenas duas semanas.

Duas semanas de nova cidade.

Duas semanas do início da realização de um sonho.

22 de fevereiro de 2017

Se for um sonho, não me acorde

22 de fevereiro de 2017
Bom, por onde começar? Se alguém viesse em janeiro me informar que hoje eu estaria morando em outra cidade, cursando o que sempre quis e morando longe dos meus pais. Eu diria que a pessoa estava louca.

Com as voltas que o mundo da, eu fui levada. Me surpreendi. Por isso o sumiço. Estou hoje a 270 km da minha família e de tudo que eu conhecia por lar. Estou aqui, buscando me arriscando e tentando.  Até porque a oportunidade não bate duas vezes na mesma porta, não é mesmo?

Trago no peito somente gratidão, por tudo! E muito aprendizado. Depois de todo choro, desânimo e tristeza. A vida sorriu. E eu sorri de volta.

Serão 4 anos dentro de rodoviárias, ônibus, malas, estudos e principalmente saudades! Mas como eu ouvi muito, é necessário abrir mão. É necessário abrir mão do comodismo, é necessário ir à luta. Quando queremos muito realizar um sonho, que até ontem parecia tão distante. 

E eu aceito as consequências da minha escolhas.

2 de fevereiro de 2017

Tempo

2 de fevereiro de 2017
Como a vida é engraçada, hoje acordei  me sentindo mais leve. Logo fui procurar uma música para embalar esse dia e me deparei com novas músicas da Banda Mais Bonita da Cidade. E apertei o play. Logo parecia que a música/poema estavam me descrevendo. E tudo pareceu tão certo, não digo completo. Mas eu compreendi um pouco mais tudo, meus sentimentos estão tomando rumo.


Com calma e tempo, tudo se ajeita. 

1 de fevereiro de 2017

eu sou as escolhas que faço

1 de fevereiro de 2017
Uma terça-feira embalada por Terras de Gigantes e uma cabaça a milhões. Assim me encontro. Acredito que por mais que eu esteja passando por uma fase meio "negra" interiormente, essa fase está me fazendo amadurecer. Eu nunca soube lidar muito bem com desconhecidos, ou melhor, sempre fiquei presa ao monótomo. Nunca fui fã de se arriscar, sair das regras. Sempre fui a "certinha" do grupo.

E com o passar do tempo, eu sempre me prendia mais. As escolhas que fiz, me prenderam mais ainda. Porém não me arrependo, sempre acreditei (e continuo acreditando) que tudo na vida tem um motivo. Eu nunca vivi nada, ou passei por alguma situação por acaso. Tem uma frase que ouvi um dia e carrego pra minha vida:

"Eu não vivo de chances, eu faço escolhas"

Por isso, hoje mais ciente de tudo. Ciente das escolhas que fiz e das consequências delas. As nuvens cinza na minha vida ainda permanecem, o choro ainda vem. Mas já não me culpo tanto, não me torturo tanto. Pois há um motivo pra tudo, e eu tenho fé nisso! 

   segunda-de-escolhas.jpg (685×400):



18 de janeiro de 2017

deixe as expectativas passar fome

18 de janeiro de 2017
A minha vida ultimamente não tem sido muito diferente e logo não rola muita criatividade. Tudo se resume a tarefas de casa, livros e Netflix. Não me pergunte sobre os meus sonhos, eu perdi eles em algum lugar do meu guarda roupa. E a vontade de lutar? Devem estar enchendo a cara em qualquer bar.

2017 trouxe tantas incertezas, que eu estou frustrada até pelo fato de tudo culpar o ano.  O coitado nem tem nada a ver.

Acredito que a pior coisa que fazemos em nossa vida é alimentar expectativas. Pois a vida é uma velha ingrata e do nada nos da uma rasteira. E a gente fica ali sem entender, fica ali sem saber até o próprio nome.

Nos últimos dias tenho ouvido tanto “procure fazer algo para se ocupar” “vá caminhar, ver gente” “sai do quarto” ... E eu tento, tento ficar animada, procuro agradar o máximo. Porém quando todos viram as costas, lá estou enfiando a cara em mais um livro pra tentar fugir de toda a realidade. Minha família sempre foi fã de livros, quero deixar claro. Mas não quando você faz isso 24 horas por dia. Não quando você SÓ faz isso.

No final das contas acho que todas as pessoas perdem o rumo pra depois se encontrar, não queria associar essa fase que estou passando a frase “Antes do sol vem a tempestade” que sempre decora os para-choque de caminhão. Mas cá estamos nós.


Enfim, estamos apenas no começo e minha mente já deu tantas voltas que eu escrevo para não pirar. Ou ir comer de novo. 

10 de janeiro de 2017

Não sei

10 de janeiro de 2017
2017, uh lá lá. Bom eu to me sentindo estranha e.. terrível? é terrível também! Desempregada e sem entrar na faculdade. Oi fracasso, tudo bom? Juro que estou tentando manter a minha sanidade e o sorriso no rosto. Vamos lá, é só 10 de janeiro. Tantas expectativas e um soco no estômago, mas quem nunca? A vida é uma caixinha de surpresas (frase do meu subnick no msn, saudades aliás) e eu não digo que as coisas estão perdidas. Apenas o tempo resolve, eu sei. Mas a minha mente não para e eu odeio isso.

Hoje não sei uma maneira de terminar esse texto, mas acredito que eu precisava disso. 2017 eu ainda nutro sentimentos bons por você. Não se acanhe.